Secretário-geral da Rio+20 anuncia possível criação de órgão voltado especificamente para o meio ambiente

Desenvolvimento Sustentável, Sha Zukang, anunciou ontem (06) que um órgão voltado especificamente para o meio ambiente poderá ser criado dentro da Organização das Nações Unidas (ONU). O assunto deverá fazer parte da agenda de discussões da Rio+20, que ocorre no Rio de Janeiro entre os dias 20 e 22 de junho deste ano.

 

Os dois principais objetivos da criação deste órgão visam o fortalecimento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). As metas focam na possibilidade de transformar o Pnuma em uma organização mundial do meio ambiente. Esse órgão estaria no mesmo nível, por exemplo, de órgãos existentes como a Organização Mundial do Comércio (OMC), que trata das regras comércio internacional, ou a Organização Mundial da Saúde (OMS), autoridade que dirige e coordena a ação na área de saúde das Nações Unidas.

 

Em visita as país para acertar questões logísticas da Rio+20, Zukang evitou pronunciar-se sobre a votação do Código Florestal, que está em discussão no Congresso Nacional, mas destacou que o assunto, embora esteja na esfera da soberania brasileira, também diz respeito ao resto do mundo. “Todos sabem que a Floresta Amazônica é o pulmão do mundo. E está muito claro que ela pertence ao Brasil. Mas também é claro que o Brasil faz parte do mundo”, disse o secretário.

 

Para ele, embora questões de soberania não se discutam, é preciso saber usar os recursos naturais. “Como usá-los é decisão soberana do governo do Brasil. Mas temos que levar em conta o fato de que moramos em um mesmo planeta. Quando se usa e explora recursos como a floresta, deve se levar em conta os impactos sobre o meio ambiente”, comenta.

 

Zukang enfatizou que não conhece em profundidade o assunto, mas fez uma avaliação positiva das ações do governo federal no gerenciamento do setor. “Não sou um especialista em florestas, mas sei que o governo brasileiro está fazendo um bom trabalho”, disse.