Semad e embaixada polonesa discutem possibilidade de cooperação

Em reunião realizada na última quinta-feira (10/02) na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, o secretário-adjunto de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Augusto Lio Horta e comitiva da Polônia, liderada pelo embaixador no Brasil, Jacek Junosza Kisielewski, discutiram possibilidades de cooperação na área ambiental.

O secretário-adjunto fez uma apresentação dos principais projetos e programas desenvolvidos pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), com foco nos resultados nas áreas de gestão de resíduos, da biodiversidade e recursos hídricos. Ele destacou o programa Minas sem Lixões, a gestão das unidades de conservação estaduais e a rede de monitoramento de qualidade da água.
De acordo com o secretário, Minas Gerais está entre os estados com os melhores indicadores ambientais do Brasil, no entanto ainda há áreas nas quais é possível avançar. "Dispomos adequadamente 53% do nosso lixo urbano, possuímos a maior rede de monitoramento do país, com 22,5% dos pontos de monitoramento de todo o território nacional e possuímos uma das melhores infraestruturas para pesquisas e turismo ecológico em unidades de conservação", explicou. Para o secretário, Minas e Polônia podem ser parceiros nessas áreas, trocando informações e tecnologias para a melhoria da gestão ambiental em ambos os países.

Para o embaixador Kisielewski, a viagem representa uma disposição da Polônia em fortalecer as relações com Minas Gerais. "Temos grande interesse na área ambiental e vejo várias possibilidades de investimentos nestas áreas, em especial nas unidades de conservação", declarou. A recepção de delegações estrangeiras e a formatação de acordos internacionais fazem parte da estratégia da secretaria-adjunta para melhoria da gestão ambiental em Minas e promoção do desenvolvimento sustentável.

Com a redemocratização e a entrada na União Européia em 2004, a Polônia conseguiu mais oportunidades de desenvolvimento econômico com o fortalecimento da moeda local. Desde que a economia do país se abriu, o governo local tem procurado estabelecer parcerias estratégicas com diversos países, entre eles o Brasil, que possui, desde 2007, um Centro de Negócios da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), em Varsóvia.

 

 

"Ascom Semad", 15/2/2011