Mapa identificará áreas de inundações em Minas Gerais

O Estado de Minas Gerais está construindo o seu primeiro Mapa de Inundações. O objetivo é identificar os locais que mais correm risco de enchentes no Estado e buscar dados que auxiliem no planejamento de ações de prevenção, controle e mitigação de cheias. Desenvolvido pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), com o apoio da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Comitês de Bacias Hidrográficas, o trabalho integra um mapeamento mais amplo, coordenado pela Agência Nacional de Águas (ANA), que resultará no Atlas Nacional de Vulnerabilidade a Inundações.

O levantamento das áreas inundadas em Minas começou em setembro de 2011 e deve ser concluído no final de fevereiro. Estão sendo coletadas informações sobre os trechos inundáveis dos principais rios do Estado, a frequência das inundações e os danos causados pelas cheias. "Nessa primeira etapa contamos com o envolvimento da população local que detém o conhecimento das bacias hidrográficas", explica Zenilde Guimarães Viola, diretora de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais e Enchentes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

Por meio da Secretaria, foram enviados mapas das bacias hidrográficas para os conselheiros de 36 comitês mineiros identificarem áreas de inundações. "Também estamos trabalhando com as Coordenadorias Municipais de Defesa Civil e as unidades do Corpo de Bombeiros do Estado, com apoio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec)", complementa Zenilde.

De acordo com a diretora, os colaboradores estão identificando nos mapas os rios que apresentam inundações e a frequência, podendo ser alta (áreas que inundaram nos último cinco anos), média (entre cinco e dez anos) ou baixa (há dez anos). E também descrevendo os impactos: alto, se houve dano a vida humana e danos significativos a serviços essenciais, instalações e obras de infraestrutura públicas e residenciais; médio, se esses danos foram razoáveis, e baixo para danos localizados e privados.

As informações coletadas serão analisadas pela equipe do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) e complementadas com os dados do Sistema de Meteorologia e Recursos Hídricos de Minas Gerais (Simge) operado pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), entidade que integra o Sisema. "O Simge monitora o tempo, o clima e o comportamento dos cursos de água em todo o Estado desde 1997 e possui uma série histórica que poderá contribuir significativamente com este trabalho" informa a coordenadora do Simge, Paula Souza.

 

Atlas Nacional de Vulnerabilidade a Inundações

A construção do Atlas Nacional de Vulnerabilidade a Inundações começou em janeiro de 2011, com a coordenação da ANA e participação de todos os estados brasileiros, que estão criando os seus respectivos Mapas de Inundações. "O Atlas é uma importante ferramenta de planejamento a prevenção de inundações, que permitirá identificar os pontos mais críticos e as estimativas dos impactos das cheias", explica o gerente de Eventos Críticos da ANA, Marcelo Medeiros. De acordo com o gerente, o lançamento do Atlas está previsto para o segundo semestre de 2012, e será disponibilizado no site www.ana.gov.br.