Cidade das Águas pode ser assumida pela Organização das Nações Unidas

Com inauguração prevista para 2014, a Cidade das Águas pode ser transformada em um centro da Unesco antes mesmo de sua conclusão. O assunto foi discutido nessa semana, durante encontros do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, Narcio Rodrigues, e o presidente do Unesco-Hidroex, professor Octavio Elisio Alves de Brito, realizados na sede da Unesco, em Paris, e no Instituto de Educação para as Águas da Unesco, em Delft, Holanda. A agenda foi preparada pelo representante do Unesco-Hidroex para a Europa, Igor Tameirão.

Narcio Rodrigues e Octávio Elísio se reuniram com praticamente toda a representação do Brasil na Unesco. A embaixadora Maria Laura da Rocha elogiou a repercussão obtida na Europa pela inauguração da primeira etapa do Hidroex, e pelo lançamento oficial da Cidade das Águas, ocorrida no dia 28 de setembro de 2011, em Frutal. Ela informou que a equipe do Itamaraty está "pronta para entrar na campanha visando à transformação do Hidroex, que é um centro de Categoria II (chancelado pela Unesco) em um Centro de Categoria I (de propriedade da própria Unesco)".

Na segunda-feira, 5 de dezembro, a comitiva se reuniu com o diretor do Programa Hidrológico Internacional (PHI), Miguel Dória, e, entre as discussões, foi apresentado a ele o cronograma de obras da Cidade das Águas e as atividades que serão iniciadas em 2012, com destaque para as que serão voltadas para a CPLP - Comunidade de Países de Língua Portuguesa.

Na terça-feira, o secretário Narcio seguiu para Lille para acompanhar o vice-governador Alberto Pinto Coelho no evento de Nord Pas Calais e Octavio Elísio foi a Lisboa para um encontro com Manoel Lapão, da CLPL. Ainda na capital de Portugal, o presidente do Hidroex esteve com embaixador do Brasil na CPLP, Pedro Mota.

Deft - Holanda

No dia 8, pela manhã, a comitiva voltou a se reunir, dessa vez em Delft, na Holanda, onde foi recebida pela cúpula do Unesco-IHE, único centro de categoria I, que é responsável, inclusive pela orientação pedagógica e pela implantação do Unesco-Hidroex.

Nessa reunião, o reitor do IHE, professor Andras Nagy entregou um documento - já aprovado pelo Conselho do PHI e dependendo da aprovação do Board da Unesco - que prevê, para os próximos anos, a abertura de quatro novos campi do IHE no mundo: um para a América Latina e o Caribe, outro para a África e mais um para a Ásia.

O Conselho Geral da Unesco deve avaliar - e aprovar - esse documento em setembro do próximo ano, data em que serão abertas as inscrições para os centros que queiram abrigar esses campi. A Cidade das Águas vai preparar sua documentação, avançar na sua implantação física e nas suas atividades pedagógicas para concorrer e se transformar no campus dedicado à América Latina e ao Caribe, passando a ser propriedade das Nações Unidas.

"Quem melhor se organizar, melhores condições têm de obter esse reconhecimento", informou Andras Nagy ao secretário Narcio e ao presidente Octavio Elisio.

Segundo o secretário, ele formará, no seu retorno ao Brasil, uma equipe específica para "cuidar de todos os detalhes necessários à obtenção dessa conquista" e vai se articular junto ao governo federal e ter uma conversa com o governador Antonio Anastasia para "fechar o orçamento necessário" à conclusão da obra da Cidade das Águas. "É uma oportunidade única e nós não podemos perdê-la", observou.

Ao final do encontro, a Cidade das Águas e o secretário Narcio Rodrigues foram convidados para o Fórum Mundial de Águas, previsto para março do próximo ano em Marselhe, França. "A Cidade das Águas é vista, hoje, como uma grande solução para a futura gestão dos recursos hídricos na terra", afirma Narcio.