País ocupa posição de destaque na produção de energias renováveis, mas poderia fazer mais esforços em relação às energias solar e eólica

Relatório divulgado na última terça-feira (29) pela Conferência da Organização das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad), revela que o Brasil foi o quinto país que mais investiu em energias limpas no ano passado, totalizando a soma de US$ 7 bilhões.

O país ocupa uma posição de destaque na produção de energias renováveis, mas poderia fazer mais esforços em relação às energias solar e eólica. "O Brasil, devido ao seu clima e à sua superfície, possui um enorme potencial em termos de energia eólica e solar, mas não explora de forma suficiente sua capacidade nessas áreas", disse Anne Miroux, diretora do relatório Tecnologia e Inovação - Potencialização do Desenvolvimento com Energias Renováveis, da Unctad.

Segundo dados do instituto voltado para estudos na área de energias renováveis REN 21, citados no relatório, o Brasil é o quarto principal país em termos de capacidade de produção dessas energias, incluindo a hidrelétrica. Porém, não está entre os cincos principais em relação à capacidade de produção de energia eólica (liderada pela China) ou solar. O relatório da Unctad afirma que os países do grupo Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) estão fazendo avanços tecnológicos significativos nos setores eólico e solar.

Miroux elogiou a meta do Brasil de que 75% da eletricidade produzida no país seja proveniente de energias renováveis em 2030. Segundo o relatório, os investimentos globais em energias renováveis saltaram de US$ 33 bilhões em 2004 para US$ 211 bilhões no ano passado.