Parque do Ibitipoca limita serviço ao visitante

Para driblar a escassez de funcionários, a gerência do Parque Estadual do Ibitipoca (PEI), localizado em Lima Duarte, na Zona da Mata, restringiu alguns serviços oferecidos aos turistas. O Centro de Visitantes, que traz informações sobre a fauna e a flora da unidade, foi fechado, assim como dois dos quatro banheiros. A unidade teve uma redução de 20 para 13 funcionários após decisão do Ministério Público Estadual (MPE), que, em outubro, determinou o encerramento dos contratos terceirizados.

A partir daí, começaram os rumores na Vila de Conceição de Ibitipoca sobre o fechamento da unidade a partir de dezembro. "O parque não vai fechar, pois legalmente isso nem é possível. Apenas tivemos que limitar alguns serviços", reforça João Carlos Lima de Oliveira, gerente do paraíso ecológico, administrado pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF).

João Carlos negou planos para reduzir a capacidade do parque de receber turistas, embora ela esteja prevista no site do IEF. Já o projeto de educação ambiental, realizado em comunidades do entorno, passou a ser feito a cada 15 dias e não mais semanalmente. "Ações importantes, como a fiscalização nos circuitos turísticos, foram preservadas", ressalta.

Em meio aos boatos, a comunidade da vila, que fica a dois quilômetros do parque, se mobilizou, uma vez que depende economicamente do PEI. Proprietários de pousadas e restaurantes se uniram para contratar os funcionários demitidos para repor a falta de pessoal na unidade. Por meio da assessoria, o IEF informou que está agilizando a nomeação de servidores concursados.