Conquistas de catadores marcam abertura de debate público

Para o presidente da ALMG, o debate público contribui para que a sociedade pense sobre o papel dos catadores de material reciclável
Veja Galeria de Fotos
Melhores condições de trabalho para os catadores são defendidas em debate público

O papel socioambiental e a crescente valorização dos catadores de material reciclável foram destacados durante a abertura do Debate Público "Desafios e Perspectivas do Movimento Lixo e Cidadania no Estado de Minas Gerais", na manhã desta segunda-feira (21/11/11). O evento foi solicitado pelo presidente da Comissão de Participação Popular da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado André Quintão (PT), e ocorreu no Plenário.

O presidente da ALMG, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), ressaltou que o debate público é um momento cívico e que contribui para que a sociedade pense sobre o papel dos catadores de material reciclável. Ele disse que uma das formas de reconhecimento do trabalho da categoria é o Projeto de Lei (PL) 2.122/11, de sua autoria, conhecido como Bolsa Reciclagem, que será sancionado nesta noite pelo governador do Estado. A proposição dispõe sobre a concessão de incentivo financeiro a catadores de material reutilizável e reciclável.

A proposta tem como objetivos reconhecer a importância e a responsabilidade social e ambiental do catador; reduzir em volume e peso a disposição final de material reutilizável e reciclável; aumentar a vida útil dos aterros sanitários; manter os recursos naturais; e melhorar a qualidade do ar e dos recursos hídricos e o bem-estar da população. A cerimônia de sanção será às 19h30, no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (Avenida Belém, nº 40, bairro Esplanada).

Para o autor do requerimento para o debate público, deputado André Quintão, o evento é uma oportunidade para homenagear várias instituições que completam uma década este ano, como o movimento Lixo e Cidadania. Quintão salientou que a luta dos catadores é anterior a esse período. Ele lembrou que, na década de 1980, a Arquidiocese de Belo Horizonte já realizava trabalho com o chamado "povo da rua", por meio de pastoriais que se norteavam pelo resgate da dignidade e da cidadania.

O deputado considerou que o movimento de catadores já conseguiu muitos avanços, mas ainda há grandes desafios, como mudar a visão higienista que ainda existe na sociedade. Nessa perspectiva, o catador é visto como um elemento que perturba a estética urbana e, por isso, é discriminado por muitos cidadãos. Outros desafios são implementar a coleta seletiva, erradicar lixões e promover a educação para a separação de materiais recicláveis nas residências.

Café - Antes da abertura do debate público, Dinis Pinheiro e André Quintão participaram de um café para os catadores, realizado no Salão Nobre da ALMG. Eles conversaram com os convidados, que foram chamados para a solenidade de sanção do Bolsa Reciclagem nesta noite. Os eventos integram a Semana Mineira de Redução de Resíduos e o Festival Lixo e Cidadania, cuja programação conjunta segue até sexta (25) em vários pontos de Belo Horizonte.