Incêndios florestais causam destruição após passagem de ciclone

O incidente acontece dois anos depois da "Sexta-feira Negra", quando 173 australianos morreram em violentos incêndios no estado de Victoria, provocados por uma onda de calor


PERTH, Austrália - Uma onda de incêndios florestais destruiu pelo menos 59 casas em Perth, quarta maior cidade da Austrália, informaram as autoridades nesta segunda-feira (7), enquanto soldados coordenavam as operações de limpeza no nordeste do país, após a passagem do ciclone Yasi.
O governo decretou situação de catástrofe natural em algumas áreas de Perth, na costa oeste australiana, onde dois gigantescos incêndios avançavam fora de controle pelo segundo dia seguido. O fogo foi provocado pelo calor e espalhado pelos fortes ventos que ainda sopravam depois do ciclone. As chamas se espalham rápida e imprevisivelmente por Roleystone, no sul de Perth, e em sua fronteira norte em Red Hill, reduzindo a cinzas 59 imóveis e centenas de hectares de floresta até agora.


"Cinquenta e nove estruturas foram danificadas ou destruídas", afirmaram os serviços de emergência. "Mais 28 estruturas sofreram danos parciais em graus diferentes".


Uma ponte que cruza o rio Canning também foi lambida pelas chamas e caiu. Segundo os serviços de emergência, serão necessárias pelo menos três semanas para reconstruí-la.


O chefe dos serviços de emergência, Craig Hynes, indicou que não há pessoas mortas ou seriamente feridas, e destacou que as autoridades estão se preparando para enfrentar fortes ventos e em breve conseguirão controlar os incêndios. O acesso aos locais onde acontece o incêndio é difícil, em áreas de densa vegetação, e muitas vezes só é possível chegar de helicóptero.


"Ainda classificamos os dois incêndios como fora de controle, e não poderemos deixar que as pessoas retornem à área por motivos de segurança", afirmou Hynes. "Estamos muito preocupados com a segurança dos locais atingidos pelo fogo, e estamos fazendo nosso melhor para que ninguém se machuque. A vida é nossa prioridade", acrescentou.


O incidente ocorre exatamente dois anos depois da "Sexta-feira Negra", quando 173 australianos morreram em violentos incêndios no estado de Victoria, provocados por uma onda de calor.
Nesta segunda, soldados do exército australiano participavam dos esforços de limpeza e recuperação das áreas afetadas pelo ciclone Yasi, removendo com a ajuda de máquinas as montanhas de destroços.


Na última quinta-feira (10), o ciclone atravessou a costa nordeste da Austrália, região de grande atividade turística e agrícola, destruindo centenas de casas e plantações em seu caminho. O prejuízo foi calculado pelas autoridades em cerca de 500 milhões de dólares australianos.


O major-general Mick Slater, que já coordenava os trabalhos de reconstrução após as violentas chuvas que provocaram enchentes e mataram 30 pessoas em janeiro, declarou que vidas foram "absolutamente destruídas" pela tempestade, e alertou que a recuperação será demorada e difícil. "É uma área grande e há muitas pessoas lá que estão sofrendo de verdade", disse Slater à rádio pública, explicando que a indústria agrícola havia sido muito prejudicada, e que por isso muitas pessoas "viram seu mundo cair".


O major-general Mick Slater, que coordena os trabalhos de reconstrução, lamentou que vidas tenham sido "absolutamente destruídas" pela tempestade."Podemos reconstruir estradas, pontes, escolas e tudo o mais, mas o que vai levar mais tempo é para que as pessoas reconstruam suas vidas", lamentou.

 

Jornal "Hoje em Dia",8/2/2011