Desmatamento registra menor taxa para mês de setembro

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgados nesta segunda-feira (31/10) em Brasília, registram, para setembro, uma queda de 43% no total da área desmatada na Amazônia Legal, com relação ao mesmo período de 2010. A área desflorestada foi de 254 Km2, enquanto no ano passado chegou a atingir 478 Km2. A redução foi de quase 195 Km2.

Desde que o Deter, sistema que mede o desmatamento em tempo real, foi criado, em 2004, essa é a menor taxa de desmatamento registrada para o período. A ministra Izabella Teixeira referiu-se ao mês como "setembro verde", considerando o resultado "muito bom", pois freou a ação dos desmatadores verificada principalmente no mês de abril. Os alertas gerados pelo Deter orientam o trabalho dos fiscais do Ibama.

O resultado foi atribuído à estratégia de criar um gabinete de crise e reforçar a fiscalização com o apoio da Polícia Federal, Força Nacional e Exército. O ministério está avaliando as causas do surto de desmatamento verificado em abril e que ocasionou a criação do Gabinete de Crise. O rigor na fiscalização, verificado após o início da ação conjunta, vai continuar, assegurou Izabella.

Segundo ela, "o Ibama não diminuiu, nem vai diminuir a fiscalização na Amazônia nos meses que restam para fechar o ano." Em novembro e dezembro as taxas de desmatamento costumam apresentar reduções expressivas, já que condições climáticas da floresta inviabilizam o desmate. "Mesmo assim, vamos manter 250 fiscais do Ibama em atividade na fiscalização", garantiu Izabella.

Pelas projeções dos técnicos do Ibama, 2011 deve fechar o ano com desmatamento inferior a 2010. Até agora, a redução foi de 1,5%, com área total desmatada de janeiro a setembro de 1,83 mil Km2, contra 1,86 mil no período anterior. Os números do Deter, que mostram as tendências do desmatamento, indicam que haverá redução no período.

Estados - O Mato Grosso foi o estado que mais desmatou no período de janeiro a setembro de 2011. Ele é responsável por 48% de todo o desflorestamento registrado na Amazônia Legal esse ano. A área desmatada chegou a 880 Km2, de um total de 1,8 mil Km2 registrado em toda a Amazônia Legal. O Deter utiliza dados dos satélites Modis e do CBERS e pode registrar áreas degradadas de até 25 hectares. A precisão dos dados depende das condições do tempo, que em setembro esteve nublado em apenas 5% do território coberto.