Modelo de BH para Central de Tratamento de Resíduos Sólidos é exemplo para todo o Brasil

Um dos desafios dos ambientalistas e dos profissionais de engenharia é saber o que fazer com as áreas que um dia foram aterros sanitários. A instabilidade do terreno e o risco de explosão devido à geração de gás metano pela decomposição do lixo aterrado requerem cuidados especiais e o monitoramento constante destes terrenos. Em Belo Horizonte, o destino encontrado para o aterro sanitário desativado em 2007 é considerado um exemplo para todo o país.

Situado na BR-040, no bairro Jardim Filadélfia, o local foi transformado em uma Central de Tratamento de Resíduos Sólidos. O gás metano gerado no local é transformado em energia elétrica, por meio da Usina do Biogás, e esta é comprada pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) para ser distribuída em sua rede. Instalada em 2008, a usina permite também o tratamento do gás lançado na atmosfera, contribuindo para não propagar o efeito estufa na capital mineira.

De acordo com a legislação brasileira, todo aterro sanitário deve ser monitorado por no mínimo 20 anos após seu encerramento, para controle das emissões atmosféricas e de chorume. O monitoramento do aterro de Belo Horizonte iniciou-se em 1995, 13 anos antes de sua capacidade máxima ser atingida. Amostras de líquidos, gases e resíduos sólidos são enviados constantemente para análise. Além disso, um monitoramento geotécnico é realizado no local, para acompanhar e avaliar o comportamento e a estabilidade dos resíduos.

Na Central de Tratamento de Resíduos Sólidos (CTRS) funcionam ainda a Estação de Reciclagem de Entulho, a Estação de Transbordo, a Unidade de Recebimento de Pneus (URP), a Unidade de Educação Ambiental (UEA) e a Compostagem.

Proteção ao meio ambiente

Desativado desde 2007, o antigo aterro recebia cerca de quatro mil toneladas de resíduos por dia. As 25 milhões de toneladas aterradas fermentam e produzem o biogás, mistura gasosa composta por cerca de 50% de metano. Este gás, além de ser altamente inflamável, é prejudicial para o meio ambiente, pois seu impacto sobre o efeito estufa é 21 vezes superior ao impacto causado pelo gás carbônico.

Com a central, a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) contribui para a redução das emissões responsáveis pelo efeito estufa, deixando de lançar na atmosfera cerca de quatro milhões de toneladas equivalentes de gás carbônico em 15 anos. O biogás também é utilizado como combustível para fazer funcionar três motores capazes de gerar energia elétrica de 1,426 megawatts cada, totalizando 4,278 megawatts de potência, o suficiente para abastecer até 20 mil casas de baixo consumo, relativo ao consumo inferior a 100 kilowatts hora por mês.

Estação de Transbordo
Desde dezembro de 2007, a Central de Tratamento de Resíduos Sólidos da BR-040 não recebe mais o lixo domiciliar e comercial de Belo Horizonte. Com a Estação de Transbordo, os resíduos coletados na área urbana por meio de caminhões compactadores são transferidos para carretas, para serem transportados para o aterro sanitário de Macaúbas, em Sabará. Todo esse processo passa a ser feito em um galpão coberto, equipado com sistema de exaustão, para que os resíduos não sejam expostos a céu aberto. Inaugurada em 26 de junho de 2009, a Estação de Transbordo tem como principal objetivo melhorar as condições de transporte dos resíduos sólidos coletados na cidade.

Estação de Reciclagem de Entulho

Uma das três usinas de Reciclagem de Entulho existentes em Belo Horizonte está situada na CTRS desde 2006. O principal objetivo é transformar os resíduos da construção civil em agregados reciclados, podendo substituir a brita e a areia em elementos da construção civil que não tenham função estrutural. Essas unidades recebem os resíduos transportados por caminhões e empresas de caçambas desde que apresentem, no máximo, 10% de outros materiais (papel, plástico, metal etc.) e ausência de terra, matéria orgânica, gesso e amianto.

Unidade de Recebimento de Pneus (URP)
A Unidade de Recebimento de Pneus funciona desde 2007 e é o local ideal para a população descartar pneus velhos. Com uma área coberta de 200m², a unidade tem capacidade para armazenar até quatro mil pneus usados.

Unidade de Educação Ambiental (UEA)
É um espaço interativo para a realização de atividades com enfoque na educação para limpeza urbana e reciclagem de resíduos.

Compostagem
A matéria orgânica coletada separadamente nas grandes fontes geradoras é transportada para o pátio de compostagem, que fica na Central de Tratamento de Resíduos Sólidos. Lá, ela é misturada ao produto da poda triturada, para formação de leiras (massas de resíduo orgânico a ser compostado). Esse material fica no pátio por aproximadamente quatro meses, até ser transformado em composto orgânico por meio da decomposição realizada pelos microrganismos presentes na própria massa do resíduo. O composto pode ser utilizado como fertilizante orgânico em hortas escolares, praças e parques.

Aterro de Macaúbas - Sabará
São produzidos em Belo Horizonte, todos os dias, cerca de 3.800 toneladas de lixo. Desde 2008, todo esse volume é levado para o aterro sanitário de Sabará, que também recebe o lixo de várias cidades da Região Metropolitana. O contrato da Prefeitura com o Aterro de Macaúbas é de 25 anos contados a partir de 2007.