Revolução de energias limpas é crucial

O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, defendeu uma "revolução de energias limpas" na conferência "Energia para Todos - investindo no acesso aos pobres" que aconteceu em Oslo (Noruega).

 

No evento prévio à Conferência Rio+20, Ban disse que a energia sustentável é fundamental para o progresso dos países pobres e cobrou ações para alcançar as metas de acesso universal de energia até 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

 

"Três bilhões de pessoas dependem de carvão e madeira para cozinhar. Essas condições são traduzidas em pobreza extrema", argumentou o Secretário-Geral. Ele completou: a energia não deve ser apenas universal, mas também limpa e sustentável.

 

De acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE), o financiamento ao acesso universal de energia custaria apenas cerca de 3% do total investido em energia no mundo. "A falta de energia é uma ameaça para as ODMs. Impede o crescimento e a geração de emprego. Exigimos uma mudança radical nas práticas atuais."

 

Para atingir o acesso universal, Ban lançou em setembro o programa "Energia Sustentável para Todos". O objetivo é proporcionar nos próximos 20 anos o acesso universal a serviços energéticos modernos, duplicar a eficiência energética e duplicar a quota de energias renováveis.

 

A Noruega lançou em paralelo à conferência o programa "Energia+Iniciativa", que foca em mobilizar recursos públicos e privados para o Ano Internacional da Energia Sustentável em 2012. "Esse é um marco no caminho para Rio+20 (....) e um bom exemplo da parceria público-privado para implementar as metas de Ban Ki-moon na área energética", analisou o Diretor-Geral da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), Kandeh K. Yumkella.