Belo Horizonte é a capital brasileira com melhor qualidade do ar

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelece um limite de 20 microgramas por metro cúbico de ar como média de segurança anual. De acordo com o resultado do estudo feito pela organização, divulgado no final de setembro, Belo Horizonte é a única metrópole brasileira, entre as analisadas, a cumprir o padrão estabelecido pela organização. Após a análise de dados referentes ao período entre 2008 e 2011 de 1.100 cidades de 91 países, a capital mineira aparece na 615ª posição no ranking geral do estudo, a melhor colocação entre as metrópoles brasileiras.

No Brasil, os dados para o estudo da organização são baseados em 68 estações de captação do país, mantidas em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná. Depois de Belo Horizonte, a primeira capital a aparecer na lista é Curitiba, cerca de 300 posições depois.

Indústrias e transportes motorizados estão entre os maiores poluidores tanto em países desenvolvidos quanto aqueles em desenvolvimento. Desde 2004, os números de pessoas que morrem devido a causas relacionadas à poluição vem crescendo, mas milhões de vidas poderiam ter sido poupadas se as orientações da OMS fossem seguidas, como acontece na capital mineira. Com o relatório divulgado, a OMS pede a implementação de políticas efetivas e o monitoramento da situação destas cidades.

Ações da PBH

Entre as ações executadas pela PBH com o objetivo de manter a qualidade do ar da capital, destaca-se o programa Operação Oxigênio, coordenado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA). Criado pela Prefeitura em 1988, em parceria com o governo do estado, o programa Operação Oxigênio é uma das ferramentas utilizadas no trabalho de combate à poluição. O programa tem o objetivo de controlar a emissão de fumaça preta emitida pelos veículos movidos a óleo diesel em circulação na capital. A operação, que tem caráter punitivo e flagrante, com vistorias não programadas, é executada pela SMMA, em parceria com a BHTrans e a Polícia Militar de Minas Gerais.

Segundo Bernadete Gomes, gerente de Controle de Poluição Veicular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, o programa Operação Oxigênio visa monitorar as fontes móveis a diesel, por meio de fiscalização dos veículos em circulação nas ruas da capital. De acordo com um levantamento realizado pelo Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência (CMMCE), o óleo díesel é responsável por 33% do lançamento de gás carbônico pelos veículos.

Minas Gerais detém uma frota de veículos superior a 7 milhões de veículos cadastrados no Departamento Estadual de Trânsito (Detran), representando a segunda maior frota do país, perdendo apenas para São Paulo. De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Belo Horizonte é a capital com a terceira maior frota do Brasil, cerca de 1,3 milhão de veículos, perdendo apenas para São Paulo e Rio de Janeiro.

Vistoria gratuita

A PBH oferece ao cidadão a oportunidade de verificar preventivamente a condição de seu veículo. A vistoria é gratuita e não punitiva. O cidadão interessado precisa apenas agendar a vistoria, que ocorre todas as sextas-feiras, das 8h às 12h. O agendamento pode ser feito pelo telefone 3277-5207. O veículo reprovado na inspeção recebe um prazo para adequação e para nova vistoria.