Semad amplia investimentos no rio São Francisco

No ano em que o descobrimento do rio São Francisco completa 510 anos, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) inclui o programa SOS São Francisco no Projeto de Conservação e Preservação dos Biomas da Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga.


Os projetos de revitalização da bacia do rio devem receber cerca de R$ 6 milhões até o próximo ano. O recurso será liberado pelo Ministério Púbico do Estado (MPE). Segundo o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, agora o rio São Francisco será contemplado pelas ações de projeto e pesquisa para os biomas do Estado.


"A prioridade será a revitalização da bacia do rio, que precisa acontecer antes do projeto de transposição do governo federal. As ações de conscientização junto às comunidades ribeirinhas são fundamentais para a despoluição do rio", disse Magalhães.


As ações da secretaria junto à comunidade próxima ao rio devem ser intensificadas. Na última semana, cerca de 400 pessoas no município de São Francisco, no Norte de Minas, fizeram a limpeza simbólica do rio e o peixamento. Cerca de 10 mil peixes, entre traíras, pirás e surubins, foram jogados no rio.


A ação também mobilizou moradores e produtores rurais dos municípios de Pedras de Maria da Cruz, São Romão, Ibiaí, Itacarambi, Januária, Juvenília, Patis, Manga e Miravânia.


Para o diretor da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), Luis Lôbo, o grande desafio para este ano é concluir o processo que transforma o rio São Francisco em Patrimônio Mundial da Humanidade da Unesco. "Só assim o governo federal seria obrigado a destinar mais recursos e ações para a revitalização do rio", disse Lôbo.


Segundo Magalhães, o Estado ainda irá apoiar todas as iniciativas que fortaleçam o projeto do rio como Patrimônio Mundial da Humanidade.