Limpeza e peixamento marcam 510 anos do Rio São Francisco

Promover a classificação do Rio São Francisco como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, efetivar sua revitalização antes da transposição e aproximar a sociedade dos órgãos de Meio Ambiente. Esses foram os objetivos do evento que reuniu, no último dia 05, mais de 400 pessoas na Comunidade do Travessão, no município de São Francisco, no Norte de Minas. Fruto da parceria entre a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), a Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), a Polícia Militar de Meio Ambiente e a Cemig, a iniciativa marcou os 510 anos de descobrimento do São Francisco.

Os pescadores locais realizaram uma limpeza simbólica do rio, seguida de peixamento. As embarcações saíram de seus municípios de origem por volta das 6 horas da manhã e coletaram o lixo durante o trajeto até o encontro na comunidade do Travessão, onde os garis do município de São Francisco recolheram o material. As atividades mobilizaram as comunidades ribeirinhas, vazanteiros, pequenos produtores rurais, entidades educacionais, incluindo também os moradores da região urbana dos municípios de São Francisco, Pedras de Maria da Cruz, São Romão, Ibiaí, Itacarambi, Januária, Juvenília, Patis, Manga e Miravânia.

"A realização desta expedição é um marco na iniciativa da revitalização do Rio São Francisco, de mudança de paradigma. A visão predominante deixará de ser a de apenas usufruir de todos os benefícios que o rio oferece e passará a ser a de cuidarmos do rio para que ele continue a cuidar de nós", avalia o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães.

Antes do encontro na localidade de Travessão, o secretário Adriano Magalhães, a subsecretária de Desenvolvimento Regional, Beatriz Corrêa, o prefeito de São Francisco, Luiz Rocha, o secretário executivo da Amams, Luis Lôbo e a Superintendente Regional de Regularização Ambiental do Norte de Minas, Laís Fonseca, fizeram um passeio de barco para ver de perto a situação do rio e em seguida realizaram a soltura de espécies de alevinos.

Atividades culturais

Durante todo dia aconteceram diversas apresentações culturais, como a dança do grupo "Os Temerosos", as lavadeiras de Pedra de Maria da Cruz e shows musicais. Os participantes da Expedição "Caminho dos Gerais" ainda tiveram a oportunidade de conferir os estandes da Codevasf, Cemig, AMAMS, Corpo de Bombeiros e Polícia Florestal.

O prefeito de São Francisco, Luiz Rocha, disse que é necessário que a comemoração dos 510 anos do São Francisco esteja voltada para o futuro. "É preciso a união de toda sociedade para transformá-lo em patrimônio da humanidade pela Unesco. O desenvolvimento dos ribeirinhos passa, antes, pela valorização do rio São Francisco, que é o seu maior patrimônio", destacou.

Para o presidente da Amams e prefeito de Patis, Valmir Morais de Sá, "todos os órgãos, entidades e ONGs se reuniram para dar um grito em favor do rio São Francisco". Ele disse, ainda, que a região Norte do Estado precisa continuar recebendo tratamento diferenciado por parte do governo estadual.

"A ação realizada hoje mostra a postura do Governo de Minas de ouvir as pessoas e o seus anseios e, a partir daí, buscar alternativas para as regiões. Conhecendo o Rio e sociedade ribeirinha é que percebemos a necessidade de firmarmos compromissos de sempre lutar pelo direito à vida e à cidadania", ponderou Adriano Magalhães.

Segundo o secretário, o evento poderá ganhar uma proporção crescente, devendo ser replicado nos anos posteriores. "Com o suporte logístico e de mobilização social já adquiridos, teremos resultados efetivos como consequência natural da participação comunitária", concluiu.