Audiência discute Plano Nacional de resíduos Sólidos no Sul do país

Na 2ª audiência pública sobre o Plano Nacional de Resíduos Sólidos, realizada na região Sul do país, na semana passada, representantes da sociedade civil, dos catadores e dos empresários do setor discutiram propostas do documento-base, elaborado pela Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do MMA e fundamentado no diagnóstico da atual situação dos resíduos sólidos no Brasil, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Os presentes aproveitaram a audiência para aprofundar informações sobre temas como logística reversa, responsabilidade compartilhada, fim dos lixões previsto para 2014, aterros sanitários, reciclagem, novas tecnologias, educação ambiental e resíduos perigosos.

Durante os debates, catadores reivindicaram ações governamentais para que o processo de inclusão seja mais rápido. Já o setor empresarial afirmou esperar a entrada no mercado de novas tecnologias que possam garantir uma maior eficiência aos negócios.

O catador gaúcho, de Novo Hamburgo, Podalírio de Souza, na atividade há 18 anos, quer que o Governo olhe mais pelo setor. Segundo ele, no momento, as ações pró-catador estão meio lentas. "Há dois anos, a gente teve um grande salto. O pessoal da minha cooperativa, por exemplo, passou de uma renda de cerca de R$ 200 por mês para R$ 1.600″, contou o catador.

O secretário de Meio Ambiente de Candiota, município localizado na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, Haroldo Quintana, diz que está participando do processo das audiências públicas porque busca informações com relação aos aterros sanitários, principalmente no que diz respeito ao financiamento para a construção de centros de triagem. Ele também acredita que o momento é essencial para a troca de informações entre Governo e sociedade.

Quintana quer que o Governo Federal explique porque os aterros privados dão certo e os aterros públicos acabam se transformando em lixões. Ele sabe que a resposta está na forma de gestão do empreendimento, mas espera uma posição dos governantes. Também sugere a criação da figura dos agentes ambientais nos municípios com menos de 20 mil habitantes, onde não existe a figura do catador.

Calendário

A consulta pública na região Sul terminou na última quarta-feira (5). As próximas estão acontecendo em São Paulo (Sudeste), nos dias 10 e 11 de outubro. Em Recife (Nordeste), elas acontecerão nos dias 13 e 14, e, em Belém (Norte), 18 e 19 do mesmo mês.