Área de preservação aberta para estudos

As grutas, nascentes e sítios arqueológicos do Parque Estadual da Lapa Grande, a oito quilômetros da zona urbana de Montes Claros, no Norte de Minas, vão servir para um trabalho educacional, recebendo visitas de estudantes de escolas públicas. Foi inaugurada a primeira etapa das obras da unidade de conservação, instalada pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), que recebeu investimentos de R$ 18 milhões. A maior parte dos recursos foi aplicada na desapropriação das áreas onde foi instalado o parque, criado por decreto estadual em janeiro de 2006.


A unidade ocupa 7,6 mil hectares, abrangendo cerca de 60 grutas e cavernas, espécies da fauna e da flora e diversas nascentes. A principal delas é a nascente do Rio Pai João, que garante o abastecimento de 40% dos 360 mil moradores de Montes Claros. Ao participar da inauguração da primeira etapa do Lapa Grande, o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Carlos Carvalho, destacou que o parque será aberto ao público, mas, inicialmente, vai receber visitas monitoradas. Essas visitas serão destinadas a estudantes, dentro de um trabalho de educação ambiental.


Por outro lado, o secretário anunciou que está sendo feito um plano de manejo para as visitas do grande público à principal gruta da unidade, a Lapa Grande. Ela vai receber iluminação, com o uso de sistema de lâmpadas tipo LED (sigla em inglês para diodo emissor de luz), que não provocam calor. O mesmo sistema foi instalado nas grutas da Lapinha (Lagoa Santa), Maquiné (Cordisburgo) e Rei do Mato (Sete Lagoas). O secretário anunciou ainda que o governo estadual já iniciou gestões para desapropriar outras áreas no entorno do Parque da Lapa Grande, que deverá ser ampliado para cerca de 12 mil hectares, alcançando também a nascente do Rio do Cedro. "Estamos diante de um verdadeiro santuário natural. Esse parque tem grande importância para o estado e para o Brasil, pois reúne os elementos principais da conservação ambiental, que são a flora e a fauna e a água, além dos sítios arqueológicos", destacou Carvalho. "O Lapa Grande será o maior parque urbano do mundo", afirmou o ex-secretário municipal de Meio Ambiente de Montes Claros Paulo Ribeiro, que, durante vários anos, lutou para a desapropriação da área, cuja maior parte pertencia a uma família dona de um banco.

FATO HISTÓRICO  - Paulo Ribeiro lembrou que a criação do parque foi "pensada" desde a década de 1960 pelo falecido engenheiro e pesquisador Simeão Ribeiro Pires. "A inauguração do parque é um fato histórico que vai beneficiar as futuras gerações", observou. Na área foi construído um centro de recepção para visitantes, espaço para administração e alojamentos. Haverá ainda exposição de trabalhos elaborados por estudantes de escolas públicas em projetos de educação ambiental.

 

Jornal "Estado de Minas", 22/12/2010