Manifestação contra Belo Monte e Código Florestal reunirá militantes em Belo Horizonte, na Praça da Estação

Acontecerá no próximo domingo (31), em Belo Horizonte, manifestação contra as alterações propostas para o Código Florestal Brasileiro e contra a construção da hidroelétrica de Belo Monte, no Xingu, Pará. O objetivo do movimento, que também será realizado simultaneamente em outras capitais do país, é reunir esforços para apoiar a marcha nacional que acontecerá em Brasília.

Militantes se reunirão na Praça da Estação, às 10h, e caminharão, subindo a Rua da Bahia, até a Praça da Liberdade. A manifestação está sendo organizada por membros da sociedade civil e todos que apóiam a causa são convidados a participar.

Belo Monte

Belo Monte é o maior empreendimento energético do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e terá potência instalada de 11,2 mil megawatts. O lago da hidrelétrica deverá inundar área de 516 quilômetros quadrados. O projeto é alvo de contestações de ambientalistas e movimentos em defesa dos direitos humanos, que acreditam que a construção da hidrelétrica irá provocar diversos impactos socioeconômicos e perdas ambientais na região.

Código Florestal Brasileiro

A Comissão Especial que discutiu o texto que altera o Código Florestal Brasileiro foi formada em julho de 2010, tendo como relator o deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP). O novo texto é alvo de fortes críticas, principalmente de entidades ambientalistas e da sociedade científica, uma vez que parlamentares excluíram a sociedade civil das discussões acerca das modificações e ignoram as contribuições de pesquisas científicas sobre o assunto. Se aprovado da forma como está, o Código Florestal abrirá brechas para aumento do desmatamento, com diminuição da reserva legal de propriedades rurais, e perdoará dívidas de quem desmatou ilegalmente até julho de 2008. Isso significará um retrocesso ambiental sem tamanho, com consequências trágicas para o meio ambiente e futuras gerações, que também precisarão de recursos naturais para viver.

Desde o segundo semestre do ano passado, a Amda, bem como outras entidades ambientalistas em todo o território nacional, tem lutado contra a flexibilização do Código nos termos propostos, uma vez que mudanças na lei são necessárias, mas devem ser para aprimorar e fortalecer a preservação ambiental, e não para facilitar única e exclusivamente a expansão da fronteira agropecuária do país.

Manifestação

Os equipamentos para construção de Belo Monte já estão chegando ao Xingu. O Texto que modifica o Código Florestal já foi aprovado pela Câmara dos deputados. É hora da sociedade manifestar insatisfação com projetos que desrespeitam os direitos humanos e comprometem a preservação da biodiversidade brasileira.