Cientistas discutem importância do Cerrado

Durante esta semana, de segunda (11) a sexta-feira (15), a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) realizará, no campus da Universidade Federal de Goiás (UFG), congresso que discutirá a relevância do cerrado para a biodiversidade nacional, no momento em que o país discute alterações para o Código Florestal. O projeto para a usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, também está na pauta dos assuntos que serão discutidos durante a semana.

O objetivo da SBPC é situar o cerrado como mais do que um simples lugar geográfico, e sim como um celeiro de produção de alimentos e diversidade populacional, que precisa de novas fontes de investimento em ciência, tecnologia e inovação.

"A ciência deve ser um instrumento de preservação e exploração sustentável do cerrado, nosso segundo maior bioma. Em breve, a água será uma commodity valiosa, e essa é a região com maior riqueza hídrica do Brasil, onde se investe muito em grãos e pecuária. Também somos incentivados a produzir mais para evitar a fome prevista em 30 anos no mundo", afirmou durante a presidente da SBPC, Helena Nader, que também explicou que os dois últimos temas propostos anualmente pela SBPC, mar e Amazônia, ganharam, depois do encontro, mais visibilidade em relação a suas preocupações e soluções, além de novas políticas públicas.

Segundo o prefeito Paulo Garcia (PT), que compareceu à solenidade de abertura do congresso, realizada ontem (10), Goiânia tem 27 unidades de preservação ambiental. E, conforme afirmou na sequência o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), o cerrado concentra um terço da biodiversidade nacional, irriga seis das 12 regiões hidrográficas do Brasil e detém 5% da fauna e flora mundiais. Ele citou que o ritmo de devastação caiu para 0,37% ao ano, mas a área ainda é uma das mais ameaçadas do planeta.

Os ministros Alexandre Padilha (Saúde), Fernando Bezerra Coelho (Integração), Fernando Haddad (Educação), Izabella Teixeira (Meio Ambiente) e Nelson Jobim (Defesa) confirmaram presença no congresso. Ao final de todas as discussões, grupos de trabalho devem elaborar textos para subsidiar a posição da SBPC sobre os diferentes temas abordados durante a semana.