Projetos viabilizam utilização da biomassa na geração de energia elétrica

A utilização da biomassa para a produção de energia surge como alternativa para reduzir o consumo de recursos naturais e evitar os combustíveis fósseis, cuja queima resulta na emissão de gases poluentes no meio ambiente.

Esse será um dos temas discutidos durante o II Fórum de Inovação e Tecnologia, realizado pela Cemig, de 30 de maio a 1º de junho. O encontro conta com a presença de profissionais e pesquisadores do setor elétrico, de universidades e da iniciativa privada.

Entre as pesquisas que serão apresentadas destaca-se a de geração de energia elétrica a partir da queima de gases do processo de carbonização da madeira usada para produção de carvão vegetal. O projeto é desenvolvido pela Cemig em parceria com a ArcelorMittal BioEnergia, que juntas investem R$ 8 milhões. O carvão é produzido a partir de florestas plantadas, que têm como objetivo específico a produção de carvão vegetal a ser utilizado pela indústria siderúrgica no Estado.

De acordo com o engenheiro de Alternativas Energéticas da Cemig Cláudio Homero Ferreira da Silva, esses gases, que atualmente são queimados e descartados na atmosfera, passam a produzir energia e "a partir da reutilização de resíduos da biomassa no processo, evita-se o consumo de recursos naturais", explica. Segundo o engenheiro, a geração de bioenergia, por ser uma solução local, faz parte de um modelo de geração distribuída, que é a base das redes inteligentes (smart grid), e, além disso, pode contribuir muito durante uma possível crise generalizada no setor.

Ainda de acordo com Cláudio Homero, o crescimento da matriz energética futura vai se dar por meio da energia eólica, solar e de biomassa, o que faz com que a Cemig esteja inserida num contexto de desenvolvimento sustentável.

Energia limpa
A Cemig coordena diversos projetos junto ao setor sucroalcooleiro, por meio da gestão da construção de novas linhas de transmissão e subestações, para conectar as usinas de açúcar e álcool ao sistema elétrico.

Essas iniciativas permitem que a energia gerada pela co-geração, que utiliza o bagaço de cana (resíduo da produção), seja injetada no sistema, aumentando a contribuição das fontes renováveis para a matriz energética nacional.

Além disso, por meio de uma iniciativa pioneira no Estado e a terceira do gênero no Brasil, a Cemig comercializa energia gerada por meio do biogás, composto por metano e gás carbônico, produzido pela decomposição de lixo de aterro sanitário.

Contratado pela Prefeitura de Belo Horizonte, o consórcio faz a exploração do gás no aterro sanitário da capital desativado em 2007. No local foi instalada a Estação de Aproveitamento de Biogás e uma usina termelétrica, que vai gerar energia utilizando 21 milhões de toneladas de lixo acumuladas em mais de 20 anos de operação.