Deputados se reúnem para cobrar limpeza da lagoa

A Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) faz hoje uma audiência pública para discutir a revitalização da lagoa da Pampulha. O objetivo é estabelecer novos prazos e investimentos para as obras que devem ser concluídas até a Copa da Mundo de 2014.


Desde 2000, a lagoa passa por intervenções e, até o momento, segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, já foram investidos R$ 230 milhões. A verba foi empregada na recuperação paisagística da orla, tratamento de esgoto de vilas e aglomerados da região, criação do parque ecológico, coleta regular de lixo e início de implantação do desassoreamento.


Para o deputado Rogério Correia (PT), as intervenções feitas até hoje não são suficientes. "Ainda precisamos realizar muitas melhorias e não podemos deixar que a poluição da lagoa piore ainda mais", disse.


O gerente de planejamento e monitoramento do Programa de Recuperação e Desenvolvimento Ambiental da Bacia da Pampulha, Weber Coutinho, afirma que foram feitos avanços, mas reconhece que há ainda muito a ser feito. "Já está sendo executado a implantação da rede de esgoto de Contagem. Hoje, 63% do esgoto que era jogado na lagoa já foi retirado. Mas precisamos crescer essa marca para 97% de água tratada", afirmou.


Futuro. Para próxima etapa das obras, está prevista a eliminação do desassoreamento de toda extensão, que equivale a 700 mil m³, melhorias na qualidade da água e rede de esgoto.


Para essa etapa, os investimentos serão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), que irá repassar os recursos da ordem de R$ 100 milhões à Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), e da Prefeitura de Belo Horizonte, com R$ 120 milhões.


A previsão é que o processo de licitação para o início da nova etapa de obras seja aberto no segundo semestre desse ano. A comissão também irá realizar uma visita ao local no início da manhã.