Obra projeta rio sem esgoto

Um investimento de R$ 220 milhões para o tratamento do esgoto e abastecimento de água foi anunciado ontem, em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas. A quantia será repassada à prefeitura pela Copasa e a expectativa é de que as obras sejam concluídas em cinco anos. Desse valor, cerca de R$ 145 milhões serão destinados ao Rio Itapecerica, que, apesar de ser responsável por 80% do abastecimento de água na cidade, recebe 100% do esgoto in natura de uma população de aproximadamente 220 mil habitantes. A primeira Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) deverá ficar pronta em 2012, e o cronograma previsto para a total despoluição do Itapecerica é até 2016.

O anúncio foi feito durante reunião entre prefeitura, Copasa e a Agência Reguladora de Água e Esgoto de Minas Gerais (Arsae), que será responsável por fiscalizar as obras das estações e o andamento do projeto. Do valor disponibilizado, cerca de R$ 18 milhões serão gastos na rede de abastecimento de água. Os outros R$ 27 milhões serão entregues à administração municipal como forma de indenização de ativos - cobrindo parte da estrutura de abastecimento existente hoje na cidade e que não precisará ser refeita.

Todo o restante da verba vai para o Itapecerica. O rio percorre 18 quilômetros só no Centro de Divinópolis. A extensão das águas na cidade chega a 29 quilômetros e a poluição pode ser facilmente percebida. Em alguns locais é possível ver o esgoto sendo despejado e problemas com águapés são constantes. A despoluição do Itapecerica era uma cobrança constante da população e de ambientalistas . Para o secretário municipal de Meio Ambiente, Pedro Coelho, a obra é um marco para Divinópolis.