Governo vetará pelo menos dois pontos polêmicos do Código Florestal

O ex-ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, afirmou ontem (28), após encontro com a atual ministra, Izabella Teixeira, que o governo federal vetará pelo menos dois pontos polêmicos do relatório do deputado Aldo Rebelo, que propõe mudanças no Código Florestal.

Segundo Minc, a Isabella afirmou que a presidente Dilma Rousseff vai cumprir os compromissos firmados no segundo turno das eleições, quando prometeu vetar a anistia aos desmatadores ilegais e a redução das Áreas de Proteção Permanente (APP).

"Ela (Izabella) disse que, apesar de todas as discussões dentro do governo, a presidente Dilma está firme na manutenção do seu compromisso", comentou o ex-ministro.

O engenheiro agrônomo Alceo Magnanini, único formulador vivo do atual Código Florestal, datado de 1965, disse que governo deveria se preocupar com o cumprimento do Código, e não em modificá-lo. Magnanini criticou a ausência de técnicos na formulação do texto, dizendo que "a comissão é formada tipicamente por pessoas do agronegócio, sem preocupação alguma com o meio ambiente".