Sem sacola, preço do saco de lixo já começa a subir

Pouco mais de uma semana depois da proibição do uso de sacolas plásticas entrar em vigor em Belo Horizonte, o preço dos sacos de lixo começou a subir. No início da semana, a secretária-executiva Mércia Ulhôa pagou R$ 13,90 pela embalagem com 25 sacos de 100 litros. Há um mês, no mesmo supermercado, ela pagou R$ 9,90 pelo produto.


"Quando eu cheguei, a funcionária estava remarcando e ainda me disse que todos estavam mais caros", conta. Ela acredita que a alta seja reflexo do fim da distribuição de sacolas, que eram usadas pela população para embalar o lixo. Sem as sacolinhas, a demanda pelo sacos de lixo, que são de plástico, deve subir. A Associação Mineira de Supermeracdos (Amis) diz que desconhece movimentos de alta no preço dos sacos de lixo.


Em Jundiaí (SP), cidade que também já baniu as sacolas plásticas, o preço dos sacos de lixo também disparou. Segundo o engenheiro agrônomo Fernando Figueiredo, que reside na vizinha Campinas, a mesma embalagem custa 250% a mais na cidade que aboliu o uso de sacolas.

Juiz de Fora abolirá plástico e permitirá oxibiodegradável
As sacolinhas plásticas estão com os dias contados em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. A cidade, porém, vai permitir o uso de sacolas oxibiodegradáveis, que não são mais aceitas em Belo Horizonte. As embalagens biodegradáveis (caso das compostáveis vendidas em Belo Horizonte) e as retornáveis (de lona, tecido e outros materiais) também serão admitidas.


A lei foi aprovada na cidade em agosto de 2009 e começará a vigorar a partir de 2012. O prazo será de três anos é para adaptação tanto do comércio e indústria, quanto dos consumidores.


A partir da vigência da lei, os infratores estarão sujeitos a penalidades que vão desde notificação até multas de R$ 500 ou R$ 1.000 e perda do alvará. (APP)