Muito lixo pra pouca coleta

Em 2010, a produção de lixo no Brasil cresceu e não foi acompanhada pelas alternativas de destinação correta ou pelos programas de coleta seletiva. 60,8 milhões de toneladas de resíduos sólidos foram geradas, 6,8% a mais do que em 2009. 42,4%, ou 22,9 milhões de toneladas desse montante foram para lixões ou aterros controlados (que não possuem o tratamento adequado).

Uma parcela significativa de 6,5 milhões de toneladas de lixo não foi recolhida, e acabou em cursos de águas e terrenos baldios. A coleta seletiva também cresceu 1,6% o que pode ser considerado pouco, se relacionado ao aumento da produção de resíduos sólidos.